Medvedev: curiosidades sobre o russo que vem conquistando o mundo do tênis

Colocou seu nome na história do tênis.

Quando venceu Novak Djokovic na final do US Open, em setembro, o russo Daniil Medvedev não acabou apenas com o sonho do sérvio de vencer os 4 torneios de Grand Slam em um ano (Aberto da Austrália, Aberto da França, Wimbledon e Aberto dos Estados Unidos), mas colocou também seu nome na história do tênis.

Quem não costuma acompanhar tênis pode ter ficado surpreso com o feito do russo de 25 anos, mas quem está ligado nos torneios sabe que ele já vinha mostrando toda sua competência em quadra – não à toa venceu o ATP Finals em 2020. O que pouca gente sabe, no entanto, é que antes de se dedicar ao esporte ele quase se tornou um matemático.

Nesta matéria do Tênis Clube Jundiaí, separamos algumas curiosidades do atual número 2 do ranking da ATP.

Iniciou ‘tarde’ na carreira

Enquanto muitos atletas começam a empunhar uma raquete ainda bem pequenos, Medvedev começou no esporte aos 9 anos. Ok, sabemos que ele ainda era uma criança, mas comparando com outros jogadores essa idade é até considerada tardia. Antes de ir para o tênis, ele tentou a natação e o xadrez, mas sua inspiração estava mesmo dentro das quadras.

Estudou matemática

Será que Medvedev usa cálculos matemáticos para melhorar as suas jogadas em quadra? Dizemos isso pois o russo quase virou um especialista na área: ele estudou matemática, chegou a entrar na universidade MGIMO, em Moscou, mas depois de um ano preferiu se dedicar 100% ao tênis. 

Morou na França

Com 18 anos, Medvedev entrou para o Elite Tennis Center, em Cannes. Sua carreira começou a decolar após conhecer Gilles Cervara, seu mentor.

Teve rápida ascensão

Chegar ao top 100 do ranking da ATP é algo que muitos profissionais nem conseguem e, quando alcançam, podem demorar muito tempo. Medvedev, no entanto, conseguiu isso em um ano, em 2016.

Primeira final da ATP

Um ano depois de chegar ao top 100 do ranking, o russo já chegou a sua primeira final de um torneio de ATP. Em 2017, com 20 anos, perdeu a final do Chenai Open. Mesmo com a derrota, o mundo do tênis já vinha um grande potencial no atleta.

Milionário

A vitória do US Open levantou ainda mais o patamar do russo. Segundo o Forbes, contando os prêmios e os patrocínios que renovou (a BMW e a Lacoste, por exemplo), o tenista ganha quase cerca de US$ 12 milhões ao ano.