Conheça a dupla que conquistou a inédita medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio

Luisa Stefani e Laura Pigossi: a dupla que conquistou a primeira medalha olímpica de tênis para o Brasil

Nas Olimpíadas de Tóquio 2020, as brasileiras Luisa Stefani e Laura Pigossi foram as primeiras tenistas brasileiras a subir no pódio, conquistando medalha de bronze no dia 31 de julho ao vencer as atletas do Comitê Olímpico Russo Veronika Kudermetova e Elene Vesnina por 2 sets a 1. A dupla de campeãs, no entanto, só soube que participaria do campeonato uma semana antes do evento, graças a uma realocação feita pela Federação Internacional de Tênis e ao gerente da Confederação Brasileira de Tênis, que inscreveu-as na lista de espera. 

Por esse motivo, as brasileiras entraram na competição como ‘zebras’, e surpreenderam ao conquistar o bronze. Mas você conhece as duas atletas?

Paulistana, Laura Pigossi Herrmann de Andrade nasceu no dia 2 de agosto de 1994 e começou a jogar tênis por influência do irmão, com quem era muito apegada. Antes dos 20 anos de idade, a jovem já tinha 11 títulos na categoria juvenil pela Federação Internacional de Tênis. Mas, em 2016, Laura tomou uma decisão que, sem dúvidas, impactaria a sua vida: mudou-se para a Espanha para dedicar-se aos treinos em uma das academias mais renomadas no mundo do tênis; desde então, já são 21 finais e 15 taças. 

Em fevereiro de 2021, Laura conquistou o título da Federação Internacional de Tênis em Vilhena, na Espanha. Meses depois, conquistou outra taça, também pela Federação, na Índia. E, no dia 31 de julho de 2021, aos 27 anos, conquistou seu mais novo título: medalhista olímpica pelo Brasil no tênis, junto com a sua dupla, Luisa Stefani.

Stefani nasceu na cidade de São Paulo no dia 9 de agosto de 1997 e iniciou sua trajetória no tênis aos 10 anos de idade, praticando uma vez por semana. Foi quando a jogadora começou a notar seu talento natural para o jogo que passou a praticar o esporte com mais frequência, e destacava-se já muito nova. 

Já aos 12 anos, Luisa disputava torneios da Federação Paulista e, aos 14 anos, mudou-se com seus pais para os Estados Unidos. Apesar da distância, a jovem tenista ainda disputava torneios brasileiros, chegando, em 2013, à sua primeira final em torneios organizados pela Federação Internacional de Tênis. E, já aos 18 anos, iniciou sua carreira como jogadora, disputando torneios femininos organizados pela Federação Internacional de Tênis. Foi durante seu período universitário, na Pepperdine University, em Malibu, que a atleta passou a se destacar no esporte, chegando à segunda colocação no ranking da ITA (Intercollegiate Tennis Association). Em 2019, a brasileira passou a disputar grandes torneios da Associação Feminina de Tênis, participando também dos torneios Grand Slams. 

Após a Olimpíada, a tenista conquistou o título das duplas do Open de Montreal ao lado da canadense Gabriela Dabrowski. Foi o primeiro título de Luisa em torneios WTA 1000, colocando ela no top 20 do ranking.

Melhor campanha em Olimpíadas

Com o resultado em Tóquio, a dupla brasileira conseguiu superar a performance de Fernando Meligeni nos Jogos de Atlanta em 1996 que, até então, era tido como o melhor desempenho de um brasileiro em Olimpíadas na história – ele perdeu a disputa do terceiro lugar.

Apesar de todo o esforço das nossas brasileiras, as medalhas de prata ficaram com as suíças Belinda Bencic e Viktorija Golubic. Já as tenistas tchecas Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova conquistaram o ouro no esporte.